segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O VIVER POR ÉTICA CRISTÃ !




Texto Básico: (Romanos. 12. 1-2)
“Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”.

Quando Paulo usa aqui as fortes palavra do seu apelo, para que nós vivamos uma vida santa na presença de Deus, ele enfatiza que sem santificação nós não veremos a Deus.
Deus exige dos seus filhos a não conformidade com o mundo, no texto de (Romanos 12.1-2) Paulo fala de uma ética transformadora, na qual os valores morais não são criados pelo “eu”, mas já preestabelecidos por Deus. O texto referido diz que a vida cristã não é uma reivindicação de direitos, mas uma apresentação de nós mesmos em sacrifícios a Deus. A idéia principal nos primeiros dois versos é uma explícita ordem:
Apresenteis o vosso corpo.......a Deus”; e aqui, “corpo” significa a pessoa em sua inteireza, como individuo que vive em seu corpo físico (Romanos 6. 12-13).”Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais as suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniqüidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça”. A vida cristã tem como característica a consagração de todo nosso ser, uma entrega por inteiro.

Vale a pena ressaltar que para nos apresentarmos a Deus, é preciso que antes neguemos a nós mesmos (Mt 16. 24)Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”. A aplicação para a ética é que não devemos viver conforme achamos certo, ou conforme nossa preferência. Pelo contrário, a conduta cristã é marcada pela auto anulação, ou seja;“a crucificação do eu”( Gálatas 2. 19- 20)” Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que agora tenho, na carne,vivo péla fé no Filho de Deus”.. E submissão à vontade divina. Isso é seguir a Cristo, imitar a sua atitude, e Paulo nos concita a termos a mesma atitude, o mesmo sentimento que existiu em Cristo na sua humilhação e despojamento, enquanto servo humilhado (Filipenses 2. 5-8). O apelo para uma ética de auto-entrega conforme (Romanos 12.1-2), vem baseado nos misericordiosos atos redentivos de Deus. A expressão que Paulo usa para iniciar;
“Rogo-vos, pois” mostra que Paulo vê a ordem de apresentar o corpo como conseqüência das “Misericórdias de Deus” que vemos mencionadas nos onze capítulos anteriores. Isso significa que vidas obedientes a Deus não partem de nós mesmos, mas vêm como respostas, e por intermédio da graça divina.


Está vida piedosa que levamos é vista como um culto a Deus. Um sacrifício que tem as seguintes características. Vejamos o descrever de Paulo:
Sacrifício VIVO”;----Devemos sacrificar a própria vida, o que há de mais precioso, a Deus. No Velho Testamento, não era permitido oferecer em holocausto um animal morto, ou doente, com defeito mas (perfeito, são e vivo). Por isso, enquanto tivermos vida, seremos um sacrifício continuo a Deus, não de vez em quando, mas todos os dias de nossas vidas.
Santo” ----Como a palavra “Santo” carrega primeiramente a idéia de “separado”, nossa vida tem de ser sacrifício consagrado somente a Deus. (Tiago 4.4)”Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constituem-se inimigo de Deus”. A palavra “Santo” também carrega o aspecto de sacrifício puro, imaculado. Temos de entender que embora Deus tenha nos tomado quando éramos sujos, ele quer que diariamente sejamos limpos, pois devemos ser instrumentos de sua santidade.


Agradável a Deus”----Nossa vida tem de ser um sacrifício que se encaixe nos propósitos de Deus para nós. Precisa ser uma vida como ele quer e não como nós queremos. O (verso 2) mostra que este estilo de vida como sacrifício a Deus tem dois lados opostos, mas que andam juntos.
E não vos conformes com este século”-----Esta chamada de Paulo mostra que uma vida sacrificada a Deus não pode voltar à escravidão do pecado da qual Deus a tirou (Gálatas 5. 1). “Para liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão”. Não podemos nos moldar aos princípios do mundo que tornam suas atitudes “normais”. Nossa vida deve fazer contraste com o estilo de vida do mundo, assim como luz faz contraste com as trevas.
Transformai-vos pela renovação da vossa mente”----A “mente” não se refere aos raciocínios gerados pelo cérebro, mas ao nossos pensamentos, emoções e desejos. Paulo está exortando-nos à uma transformação com base na renovação do coração causada por Deus. E o mais maravilhoso desta proposta transformadora que chamamos de vida cristã é o seu propósito provar que a vontade de Deus para a nossa vida é boa, santa, agradável e perfeita.


Em vez de vivermos pelos padrões de um mundo em desacordo com Deus, devemos receber de bom grado a exortação, e deixarmos que a renovação das nossas mentes flua no poder do Espírito santo, transformando-nos em vidas novas e harmonizando-nos com a vontade de Deus.
(Romanos 6. 20) O apostolo Paulo nos diz: “Agora porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação e, por fim, a vida eterna

Que Deus grandemente abençoes a tua vida, meu irmão e amigo, em nome de Jesus.

1 comentários:

Alice Vaz de Barros Dusilek disse...

Paz do Senhor Jesus meu querido irmão, Deus seja louvado pela sua vida, obrigado pelo convite, é sempre agradável e gratificante partilharmos uns com os outros as maravilhas de Deus! Muito edificante o seu blog! Deus o abençoe poderosamente!

Este é o meu blog se desejar seguir-me:http://atelierdejesus.blogspot.com/

Deus o abençoe poderosamente, seja bem vindo!

Abraço no puro amor de Cristo!

Postar um comentário

Copyright © 2011 Eneas Cândido de Lara. Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger