domingo, 7 de abril de 2013

CORAÇÕES QUE SE AGRIDEM, NÃO AMAM !!!

  
Um grande pensador e místico indiano Meher Baba, certo dia reuniu os seus discípulos e lhes perguntou: Porque as pessoas gritam quando estão aborrecidas”?. Um daqueles discípulos respondeu: Porque perderam a calma”. Baba continuou perguntando: “Mas, por que gritar se a outra pessoa esta tão perto”?. Foram dadas várias respostas, mas nenhuma satisfez ao mestre. Finalmente, ele explicou: “Quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito, Tanto que elas gritam para que a outra possa escutá-la”. “Quanto mais aborrecidas ficam, mais distanciam seus corações. E, por isso, elas gritam ainda mais alto”.

 Todos ficaram em silencio e o mestre continuou: “Já observaram que os namorados não gritam?  Eles falam suavemente sabem por que? Seus corações estão bem perto um do outro, que não precisam gritar para se ouvirem. Quanto mais apaixonados, mais baixo falam. As vezes até apenas sussurram.
E o mestre concluiu: “Quando discordarem um do outro, não digam palavras duras para não aborrecerem os corações. Os corações podem se afastar muito e a distancia será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta”.

 Essa reflexão do mestre Meher Baba é interessante e revela muita sabedoria. Realmente, precisamos tomar todo cuidado necessário para não aborrecermos os corações. O desejo de Deus é que pensemos a mesma cousa, tenhamos o mesmo amor, sejamos unidos de alma, tendo o mesmo sentimento (Filip. 2. 2)”Completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma cousa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento”. Infelizmente, não atendemos a esse desejo nem atingimos esse ideal. Muitas vezes, em nossos relacionamentos, falamos, agimos sem considerar a sensibilidade de nosso próximo. Isso acontece com pessoas de alto nível cultural, e até com ignorantes e iletrados, com homens santos e com pecadores.

 Temos constatado que grandes homens de Deus tem caído nessa armadilha. Veja o que aconteceu com Paulo e Barnabé. Isso deve ser uma advertência para todos nós. O  relato Bíblico diz: “Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam. E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfilia, não os acompanhando no trabalho. Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar-se (Atos 15. 36/39). É provável que Paulo e Barnabé tenham usado palavras duras, descaridosas, talvez  até violentas, um contra o outro, pois não mais trabalharam juntos. Os seus corações se afastaram tanto que não encontraram mais o caminho de volta.

 Quando estivermos aborrecidos ou discordamos de alguém, tenhamos cuidado com a forma como vamos agir, e com as palavras que vamos dizer. Devemos levar em consideração a advertência de que: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Prov:15. 1).
 O nosso coração é um órgão muito sensível, e se machuca com muita facilidade. E corações machucados se afastam tanto que podem não encontrar o caminho de volta.  Pense nisso!........

               

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2011 Eneas Cândido de Lara. Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger