domingo, 30 de junho de 2013

A LONGITUDE INFINITA!!!

Salmo 103. 12: “Quanto dista o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões”.

É interessante esta colocação do Salmista ao referir-se a longitude entre o Oriente e o Ocidente. Mesmo porque, se nós começarmos uma trajetória no norte ou em qualquer ponto da terra, é certo que vamos atravessar o pólo norte indo em direção do Sul, mas observe que; isso não ocorre entre o leste e o oeste.. Se nós caminharmos na direção do oeste, sempre estaremos indo para o oeste. O norte e o Sul se encontram no Pólo Norte, mas o Oriente e o Ocidente jamais se encontraram. Assim podemos concluir que a separação entre um e outro é infinita. Da mesma forma quando Deus promete que remove as nossas transgressões na distância do Oriente para com o Ocidente, Ele está afirmando que é arremetida e arrancada de nós ha uma infinitude imensurável que jamais será encontrada.

Quando Deus através de Davi usa esta expressão de forma metafórica para se fazer entender a dimensão do seu perdão, Ele está dizendo que seu perdão é total, completo, incondicional mesmo porque,  para os seus “eleitos” Ele tem revelação divina e maravilhosa. Ele não contabiliza os seus pecados.Bem-aventurado o homem a quem o Senhor jamais imputará pecado (Rom. 4. 8) Veja mais: “Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui consoante as nossas iniqüidades”(Salmo 103. 10) Ao tomarmos conhecimento desta tão grande graça, confrontados por nossa natureza humana dentro dos nossos limites éticos e morais, de certo e errado, de castigo e recompensa, ficamos de certa forma arredio com aquele ponto negro a indagar-nos; como Deus pode fazer isso? Como pode não levar em consideração as nossas graves transgressões a ponto de perdoá-las removendo-as de nós,  arremetendo-as para uma distância infinita de completo esquecimento?.

 Não....não houve perdão! mesmo porque, a Sua “Justa Justiça” é implacável e teria que ser satisfeita, mas como nós estávamos na condição de indignos pecadores pela desobediência cometida no Éden, não poderíamos  a nós mesmos justificarmos. Daí então, o imensurável, o maravilhoso amor do Pai se manifestou, na doação do Seu Unigênito Filho Jesus Cristo, para nos substituir levando sobre Si  a pena que era somente nossa. A morte de Cristo Jesus em nosso lugar, satisfez plenamente a justiça de Deus, e agora Deus pode, sem violar a Sua Justiça e a lei moral, perdoar-nos completamente de todas as nossas transgressões e pecados. Agora quando Deus olha para a adoção de um filho Seu , Ele olha através da Cruz sacrossanta do calvário, e vê-nos santos, lavados, justificados, alvos mais que a neve, e assim, pode receber-nos na Sua Santa morada, a Jerusalém Celestial para habitarmos com Ele para todo o sempre.

Eis pois agora, a gloriosa mensagem do nosso amado Benfeitor, O Senhor Jesus Cristo que disse:Eu sou o caminho, a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”(João 14. 6).
Que a Ele seja toda a gloria, honra e louvor para todo o sempre. Amém!!!!!!!

Enéas Candido de Lara


2 comentários:

Aline Torres disse...

Há verdades que nunca paramos para refletir. Que bom que existem blogs tão bom como o seu.
Amei esse texto!!

Eneas Lara disse...

Oi minha querida irmã Aline! Obrigado por sua preciosa visita e comentário. Fiquei feliz em te ver aqui, volte sempre que o desejar, e que Deus te abençoe grandemente a tua vida é a minha oração!!!!!!!!.

Postar um comentário

Copyright © 2011 Eneas Cândido de Lara. Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger