sábado, 10 de maio de 2014

A DESGRAÇA DE UM INCONTIDO DESEJO!!!


Ò inebriante vermelho pecado..!
Que em forma de fruto mostraste,
O sonho do grande mistério...
Que o irresistível desejo incitaste.

O diabo astuto e a espreita,
Conspirava traição...
Por ter sido por Deus condenado,
A eternal  perdição.

Cheio de tanto rancor,
Impiedoso e traiçoeiro...
Quis com Deus competir.
Vendo em Eva o forte desejo,
Do fruto o sabor sentir...
Aproximou-se ardiloso embusteiro.

Disse: coma Eva!...igual a Deus tornarás,
Conhecendo o bem e o mal
Poder e independência terás,
E experimentareis liberdade afinal!.

Eva outra vez, ao fruto olhar,
Que maldita fascinação!
Desejo irrefletido e incontido,
Que do mandamento esquecido
Veio em desobediência pecar.

Diante de tão grande desgraça...
Que o diabo pensou consumar,
Fazendo assim como ele;
O homem também pecar.

Só não avaliou do amor a grandeza,
Antes dos tempos eternos, o fato a luz,
Que em onisciência havia Deus projetado,
Em pagamento orçado
O Sangue remidor de Jesus.

Quando em tão grande e sofrível Brado!
No calvário ecoou......
Está tudo consumado!!!!!!
Pelo preço deste Sangue derramado;
As nossas culpas e pecados PAGOU!!!!!!

Enéas Cândido de Lara


2 comentários:

  1. Que lindo poema, meus parabéns.
    Ilustrou de forma linda, aquele momento que parecia ser o pior, mas o preço foi pago, resgatados fomos.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Vanderleia por suas amáveis palavras! É..quando nos sobra um tempinho acabamos deixando aflorar nossa veia poética rsrsrs. Um abraço!!!!!!

    ResponderExcluir