quarta-feira, 22 de abril de 2015

O DIA QUE A MORTE ENCONTROU COM A VIDA!



Não há nada mais dolorido, mais sofrível que nos faz impotentes que é estar diante da implacável morte. Ela é o preço do pecado que infelizmente todos nós um dia temos que pagar. Não adianta termos medo dela, batermos na madeira três vezes, fazermos sinal da cruz, tentarmos ignorá-la, porque ela é real, ela é decreto inflexível da justiça de Deus .

 No texto em destaque  (Lucas 7. 14) O Senhor Jesus ia indo para a cidade de Naim, e ao chegar à entrada da cidade encontrou com uma grande multidão de pessoas que levavam um morto para ser sepultado. Diz-nos  o texto, que era um  filho único de uma viúva, que tinha morrido trazendo grande dor, desespero ao coração o daquela pobre mulher viúva e, agora sozinha neste mundo. O Senhor Jesus não era insensível a dor humana, pelo contrario, Ele como um ser humano vivia as emoções, e as dores humanas e suas impossibilidades, e podia ver e sentir a grande e irreparável tragédia em que o pecado de nossos primeiros pais (Adão e Eva) nos condicionou. E a morte é uma das maiores.
O versículo (13) “Vendo-a, o Senhor se compadeceu dela e lhe disse: Não chores!. Há!..... como não chorar se vitimada era das maiores dores deste mundo, a perda do seu único filho, só quem já perdeu um filho pode entender a dor desta mulher. Muitas vezes nós tentamos consolar alguém usando tais palavras, mas inócuas serão, pois jamais poderemos mudar a evidência dos fatos. Entretanto, com Jesus tais palavras eram de autoridade e poder, porque ali estava quem era o autor da própria vida, a qual circunstancialmente encontrava-se com a morte.  O cortejo parou, e Jesus chegando tocou o esquife e disse:”Jovem eu te mando: levanta-te! O jovem levantou e foi restituído a sua mãe.
Que consolação grandiosa temos em Cristo Jesus, em sabermos que Ele é Senhor da vida e da morte, foi isso que em outra ocasião quando ansiosamente era aguardado em Betânia por Marta e Maria, as quais tinham perdido o seu irmão Lázaro, o qual já fazia (Quatro dias) que tinha sido sepultado(João 11. 17). Humanamente não se podia conceber a possibilidade do reverter deste fato, pois o corpo já estava em estado de  decomposição. Contudo, ali estava o Senhor da vida, e foi isso que Ele disse para Marta:”Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?. Ao ser levado onde Lázaro estava sepultado Ele ali sentiu as dores humanas, viu Marta e Maria chorarem, viu os Judeus chorarem então Ele se agitou no espírito e como um ser humano também chorou(João 11. 35). Com uma grande diferença, seu choro foi dupla emoção, porque se Ele tinha amargurado seu coração, por outro lado Ele tinha o poder para reverter o que humanamente era impossível aos homens fazer. Então, olhando para aquele frio sepulcro disse: Lázaro vem para fora”! O corpo foi reconstituído e a vida voltou a existir, e foi devolvido são e salvo para aquelas irmãs. 
O versículo (13) “Vendo-a, o Senhor se compadeceu dela e lhe disse: Não chores!. Há!..... como não chorar se vitimada era das maiores dores deste mundo, a perda do seu único filho, só quem já perdeu um filho pode entender a dor desta mulher. Muitas vezes nós tentamos consolar alguém usando tais palavras, mas inócuas serão, pois jamais poderemos mudar a evidência dos fatos. Entretanto, com Jesus tais palavras eram de autoridade e poder, porque ali estava quem era o autor da própria vida, a qual circunstancialmente encontrava-se com a morte.  O cortejo parou, e Jesus chegando tocou o esquife e disse:Jovem eu te mando: levanta-te! O jovem levantou e foi restituído a sua mãe.

Que consolação grandiosa temos em Cristo Jesus, em sabermos que Ele é Senhor da vida e da morte, foi isso que em outra ocasião quando ansiosamente era aguardado em Betânia por Marta e Maria, as quais tinham perdido o seu irmão Lázaro, o qual já fazia (Quatro dias) que tinha sido sepultado(João 11. 17). Humanamente não se podia conceber a possibilidade do reverter deste fato, pois o corpo já estava em estado de  decomposição. Contudo, ali estava o Senhor da vida, e foi isso que Ele disse para Marta:”Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?. Ao ser levado onde Lázaro estava sepultado Ele ali sentiu as dores humanas, viu Marta e Maria chorarem, viu os Judeus chorarem então Ele se agitou no espírito e como um ser humano também chorou(João 11. 35). Com uma grande diferença, seu choro foi dupla emoção, porque se Ele tinha amargurado seu coração, por outro lado Ele tinha o poder para reverter o que humanamente era impossível aos homens fazer. Então, olhando para aquele frio sepulcro disse: Lázaro vem para fora”! O corpo foi reconstituído e a vida voltou a existir, e foi devolvido são e salvo para aquelas irmãs.

 O Senhor Jesus não está mais entre nós fisicamente, mas está Espiritualmente e muito mais, Ele disse que habita em nós, e  que nós somos templo, morada e habitação dEle (ICoríntios 3. 16) e hoje também, continua através de nós a fazer o maior de todos os milagres não que possamos ressuscitar pessoas, mas sim, que nós somos portadores da palavra que ressuscita, vivifica, transformando vidas mortas em novas criaturas para gloria do seu reino, e nos deu a gloriosa promessa que estará conosco todos os dias até a consumação dos séculos.(Mateus 28. 20)

 Creia nessa palavra, e que Deus te abençoes. Amém
Enéas Cândido de Lara  


0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2011 Eneas Cândido de Lara. Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger