quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Humilhai-vos na presença do Senhor, e Ele vos exaltará!

# "Enganoso é o coração, mais do que todas as cousas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá"? (Jeremias 17. 9).
Em um acampamento de jovens foi dado como tema para estudo uma redação a ser feita sobre o versículo acima. Como não chegaram a um consenso sobre o que significa a palavra (enganoso) resolveram pedir ajuda para um velho crente que providencialmente passava por ali. Então, respondeu ele de uma forma bem simples, mas verdadeira: "Um coração enganoso é aquele que sempre arruma uma desculpa pra tudo".
Quando nós lembramos da tragédia do Éden, quando Adão pecou e, sendo indagado por Deus, ele de imediato arrumou uma desculpa saindo pela tangente e disse: “Foi a mulher que me deste por companheira, ela me deu e eu comi”. (Gênesis 3. 12) foi uma forma indireta de culpar a Deus por seu pecado. A partir daí, quando se pede explicações acerca de um erro cometido por alguém, sempre lá vem uma boa desculpa. Como é dificílimo admitir um erro.  É mais fácil culparmos a Deus pelos problemas que nos afligem como: a miséria, fome, guerras, terremotos, violência, sofrimentos....... Isso porque a natureza humana foi corrompida, deformada e se mostra  má desde á sua infância”. (Gênesis 8. 21) 
Não há nada neste mundo que possa mudar a natureza humana. O coração do homem está maculado pela nódoa do pecado, e de seu coração só procede o que é mal. E foi por isso que o Senhor Jesus disse: “O que é nascido da carne é carne” mas o que é nascido do Espírito é Espírito. Não te maravilhes de ter dito: É necessário vos nascer de novo”. (João 3. 6-7 É imprescindível que passemos por este processo de transformação, porque sem ele pesa sobre nós a enfática afirmação de Jesus: “Em verdade, em verdade vos digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus”(João 3. 5).
Quando estivermos diante do Supremo Juiz naquele dia, não haverá nenhuma possibilidade de arrumarmos desculpas porque; Ele conhece as profundezas de nosso coração. “esquadrinha o Senhor todos os corações, e conhece todos os nossos pensamentos; se o buscares será achado de ti; porém se o deixares, rejeitar-te- á  para sempre” (Crônicas 28. 9)

Diante desse tão grande Deus só uma postura será aceita, o  reconhecimento da nossa nulidade por uma sincera e profunda humilhação na dependência da Sua misericórdia. 
Foi o que aconteceu com o fariseu e o publicano que foram no templo orar. O publicano orgulhoso de seus feitos dizia: “Graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos, e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dizimo de tudo quanto ganho” (Sabe de uma coisa?) Ele estava confessando a verdade, mas o valor mais importante que Deus requer de nós, faltava nele e, era manifesto naquele indigno e pecador publicano.(Lucas 18.13) Diz: O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem, ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus tem misericórdia de mim pecador!Digo-vos que este desceu justificado para a sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado”.(Lucas 18. 14).

Que Deus vos abençoe amigo e irmão, em nome de Jesus!
Enéas Cândido Lara

e-mail: eneaslara194@gmail.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2011 Eneas Cândido de Lara. Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger