sábado, 27 de maio de 2017

A proclamação: É um imperativo pessoal, intransferível que recebemos do Senhor Jesus !


Quando olhamos para a mensagem Bíblica dos evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João, notamos haver uma unidade de uma impreterível e imperativa ordem do Senhor Jesus, quanto a proclamação do reino de Deus. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações ....(Mateus 28. 18-20) O evangelista Marcos, semelhantemente, relata como Jesus envia-nos a todo o mundo para pregar o evangelho ( Marcos 16.15). Em João, nossa missão é identificada com a de Jesus, na medida em que, como este foi enviado ao mundo, nós também somos (João 20.21)   O próprio evangelho é escrito para servir como instrumento de evangelização ( João 20. 31). Lucas por sua vez, afirma que a igreja deve “Pregar arrependimento para remissão de pecados, a todas as nações, começando de Jerusalém. (Lucas 24. 47). E para mostrar como a Igreja Primitiva cumpriu esta missão, escreve o Livro de  (Atos. 1.1-5)
Tudo, portanto, que Jesus Cristo falou, ensinou e fez junto de seus discípulos e apóstolos deveria servir como base para que eles testemunhassem do evangelho após sua ressurreição. Eles foram preparados por Jesus durante seu ministério para que se tornassem testemunhas após sua partida. Uma só imprescindível cousa faltava. (Atos 1. 8)..mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judeia e Samaria e até aos confins da terra.

A proclamação é um imperativo para a Igreja de Cristo. Precisamos avaliar se de fato isso tem ocorrido em nossas comunidades. Uma Igreja que não prega o amor de Deus manifestado em Cristo Jesus, para a salvação de todo o que Nele crer, é uma igreja  indolente, infiel, ingrata em omitir a grande obra redentora do calvário, para a salvação do perdido pecador.  Pregar o evangelho é uma ordem pessoal, imperativa, intransferível que cada um de nós, também recebemos do Senhor Jesus. Esse IDE portanto, fazei discípulos de todas as nações......(Mat. 28.20) Isso, não é simplesmente um pedido, mas uma impostergável ORDEM, que pesa em nossos ombros. O apostolo Paulo disse: Se anuncio o evangelho, não tenho de que me orgulhar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho. (I Coríntios 9. 16).
Evangelizar deve ser a resposta do nosso coração ao imensurável amor de Deus, amor esse que deve transbordar para nossos relacionamentos. O amor, obviamente, não é apenas uma obrigação, mas fruto de nossa vida com Deus que chega àqueles que estão à nossa volta. Se não temos um ardente desejo de evangelizar, é porque, talvez não estejamos vivendo bem com Deus. É preciso urgentemente fazermos uma avaliação introspectiva para identificar esse gravíssimo  problema.
Pense nisso!
Que Deus te abençoe, em nome de Jesus!

Enéas Cândido de Lara

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2011 Eneas Cândido de Lara. Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger